sábado, 8 de novembro de 2014

Os mais jovens, os negros e as mulheres - 30 breves posts sobre a regata "La Route du Rhum" 8







- Não, nunca, jamais, de modo algum, não, não sou, nunca fui, nem jamais serei
racista, mas... 

- Nutro uma imensa simpatia pela raça negra, que na verdade não é raça, mas etnia.

- Pra quem não sabe, todos nós humanos (que costumo chamar de des-humanos*) pertencemos a uma mesma e única raça.

- Mas eu gosto de torcer pelas minorias.

- Existem, que eu saiba, três minorias nesta atual edição da "Route du Rhum".

- Os negros.

- As mulheres.

- Os muito jovens.

- Torço com paixão por estas três minorias e contra os homens-brancos-maduros que são a maioria.

- Que graça tem a gente torcer pela maioria, hein?

- Baixinho no ouvido de vocês, confesso uma enorme curiosidade pra saber como velejam em solitário as mulheres, os negros e os mais jovens.

- Porque?

- Porque é com eles que mora a esperança de invenção de um estilo novo.

- Pergunta pra vocês responderem: 

- Não seriam os negros, as mulheres e os mais jovens, as pessoas mais sorridentes e portanto mais simpáticas desse mundo?

- Detalhe feliz, a velejadora mais à esquerda, Anne Caseneuve está participando de sua quinta Route du Rhum. 

- Detalhe triste, a velejadora mais à direita, a sul africana Phillippa Hutton-Squire, foi obrigada a abandonar a regata logo no início, após perder o mastro do seu veleiro.

- Curiosidade das mais interessantes: Vocês sabiam que uma mulher foi fita azul de uma das antigas edições da Route du Rhum?

Fernando Costa



Sur les 91 skippers engagés dans la Route du Rhum, quatre seulement sont des femmes. Elles ne cherchent pas à jouer les gros bras pour prouver leur compétence.

Anne Caseneuve et Miranda Merron ont déjà participé à la Route du Rhum, pour Juliette Petres et Philippa Hutton-Squire ce sera une première. Mais en tous cas, ces quatre femmes ne se laissent pas envahir par les préjugés quant à leur place sur un bateau de course.

En quarante ans, la course en solitaire n'a drainé que quinze noms féminins. Il n'y en pas plus à cette édition que dans les années 90 malgré les succès de Florence Arthaud ou Ellen Mac Arthur. Ce déséquilibre est moins flagrant dans les compétitions en équipage mais le monde de la voile reste encore pour les femmes un terrain à conquérir. Les quatre filles dans le vent à Saint-Malo sont prêtes à relever le défi avec le... LINK





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seus comentários, críticas ou elogios farão meu blog evoluir. Obrigado por participar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...