quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Dobrando o Cabo Frio, que mais parecia o famigerado Cabo Horn - Velejando do Rio de Janeiro a Cabedelo, a bordo do ágil Class 40 "Creno Moustache Solidaire" 13



Dobrando o Cabo Frio - dezembro de 2015 - foto de Fernando Costa


- Não sei se vocês se lembram, mas pouco antes de chegarmos ao Rio de Janeiro, atravessamos uma violenta e bizarra porranca.

- Bizarra, porque completamente fora de
estação.

- Mas nada se compara à violência dos ventos que encaramos ao dobrar o famigerado Cabo Frio, meu velho conhecido.

- 20 nós?

- Pouco, quem dá mais?

- 30 nós?

- Pouco, quem dá mais?

- 40 amigos, 40 nós de vento, com rajadas nas casa dos 45.

- Tudo isso em pleno verão.

- Acreditam?

- Nem eu.

- Cheguei a pensar que o "Creno Moustache Solidaire" fosse rachar ao meio e afundar em menos de 30 segundos.

- Cheguei a marear, coisa raríssima de me acontecer.

- Cheguei a sugerir a "Skipper Sérgio" que aquartelasse por algumas horas, pra gente dar uma arrumada no interior do barco, comer alguma coisa e dormir sem que as violentas porradas que a* MAR irada* dava de 30 em 30 segundas contra o costado do veleiro nos estourasse os tímpanos.

Fernando Costa




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seus comentários, críticas ou elogios farão meu blog evoluir. Obrigado por participar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...