sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Vela toda enfunada pelo vento - 30 fotos de minha autoria comentadas, porque toda memória é fotográfica 19



Leia uma introdução a esta série de 30 posts clicando aqui


Atlântico Norte - Costa do Marrocos – 2013 – Foto de Fernando Costa


- Tem nada a ver, verde com vermelho, mas olhando pra misteriosa imagem do post anterior, desta mesma série, lembrei-me desta outra fotografia que fiz do
gennaker do veleiro "Le-Plaisir-du-Soleil" durante a travessia Gibraltar-ilha da Madeira-via-ilha-de-Porto-Santo.

- Bonito, não, uma vela assim, toda enfunada pelo vento?

- É por isso que gosto de velejar ao sabor dos providenciais alíseos, quando bem estabelecidos, todas as velas passam o tempo todo assim, infladas, lindas, irresistíveis e o veleiro corre sem cansar, dia e noite, noite e dia, sem parar "como turba de infantes inquieta".

- Esse "como turba de infantes inquieta" não é meu não, viu?

- Querem saber de quem é?

- Do poema brasileiro mais lido e baixado da internet, de autoria do genial, apesar de muito jovem, Castro Alves.

- Detalhe, a vela acima não está enfunada pelos alíseos, que eu, mais todos os navegantes do mundo inteiro tanto amamos...

- Os alíseos sopram bem mais abaixo da costa do Marrocos, ligados?

Fernando Costa

Leia uma introdução a esta série de 30 posts clicando aqui


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seus comentários, críticas ou elogios farão meu blog evoluir. Obrigado por participar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...